segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

A cada passo.

''A cada passo que dou o mundo inteiro sacode''. Dia desses estava eu assistindo TV quando, num canal de música qualquer, tocava uma banda de estilo ''mangue beach'' (se você não sabe o que é Mangue Beach pesquise, pois é o tipo do estilo de música que vale a pena conhecer), por alguns minutos seu nome ficou ali perdido no patético vácuo da falta de informação, a verdade era que só saberia do seu nome quando aquele clip de orçamento pífil atingisse seus noventa por cento ou mais de reprodução, e foi o que aconteceu. Na chamada ''bacia das almas'', aqueles segundinhos restantes para o término da canção, tanto o nome da banda quanto o nome da tal música saltaram ao rodapé de minha TV e da mesma forma que os descobri, infelizmente os esqueci...macacos me mordam!...aí você me diz ''- Pow, véy, acha essa banda aí na internet!...então eu te respondo ''- Pow, Lek, hoje em dia é tudo na base do pápum, sendo assim esse lance dessa galera aí já foi!'', contudo, reconheço que seria bastante interessante conhecer outros trabalhos dessa turma do mangue.
''A cada passo que dou o mundo inteiro sacode''. Essa frase roubou por completa a minha atenção e me fez pensar num turbilhão de coisas, por exemplo naquele maldito caminhão de escolhas erradas que fiz ao longo de minha vida nada relevante a seja lá quem for, escolhas que poderiam facilmente ter me lançado de cabeça ao inferno (se bem que, nos últimos anos, muitas dessas escolhas vêm me lançado de pára-quedas ao mesmo), burras escolhas que me privaram de agora estar com os bolsos tomados de dinheiro, dinheiro limpo oriunda do meu próprio talento, Q.I. e sagacidade (lembrando que sem esse papo de ser doutor, pois quando mais jovem queria mesmo era ser seu ídolo, ou no pior dos casos, ídolo de seu vizinho, fosse ele um bandido de baixo escalão ou um daqueles nerd metido a sabedor de tudo).
A cada passo que dou o mundo inteiro sacode...
...embora eu leve essa frase para o lado obscuro das escolhas, certo mesmo seria apontar o que de fato ela quer dizer, veja bem, se a cada passo teu o teu mundo sacode...ora bolas!...certamente você é dono de um poder extraordinário, poder não de conquistar ou destruir e sim de fazer a diferença ao mundo que te abraça. A cada passo teu cidadãos de tudo o que é crença ou raça te percebem e punhados destes te tomam como exemplo, a cada passo teu o mundo sacode, sacode não pelo temor de sua chegada ou aflição por suas idéias, a cada passo teu, meu caro, o mundo sacode pela felicidade contida na música dos seus atos e força de suas palavras. Antes de terminar quero dizer que escrevi esse post ouvindo Eric Clapton...até logo e cocaine!

Um comentário:

  1. Muito bom esse post, parabéns.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir